segunda-feira, 20 de julho de 2015

Caos no trânsito de Bacabal, de quem é a culpa? - Por Wherlyshe Morais*

A cidade de Bacabal - MA está em constante crescimento e junto com esse crescimento vêm problemas típicos de cidades grandes, e um desses problemas que mata mais que guerra, é o trânsito. Números alarmantes estão rompendo barreiras: crianças, jovens, adultos, idosos, ricos, pobres, miseráveis... todos estão sujeitos a sofrer algum tipo de acidente de trânsito, porém, existe algo que pode e deve ser feito, que é a conscientização e fiscalização por parte dos órgãos responsáveis pelo trânsito.

► COMPARTILHE NO FACEBOOK
► COMPARTILHE VIA WHATSAPP

Bacabal, cidade com quase 120 mil habitantes, não consegue controlar seu trânsito caótico, diga-se de passagem, não é só o trânsito que é caótico. De segunda ao meio-dia de sábado o órgão responsável pelo trânsito "trabalha" (será se cumpre o que o nome diz, "guarda" municipal de trânsito?), nos finais de semana somem, não se olha os "guardas", a não ser em algum evento particular ou promovido pela prefeitura que os mesmos são convocados para trabalhar.

NEM O DETRAN DE BACABAL RESPEITA AS LEIS DE TRÂNSITO
A imagem abaixo, clicada em janeiro de 2015, mostra uma viatura do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) claramente desrespeitando as leis de trânsito: na rua Osvaldo Cruz, próximo ao cruzamento com 28 de julho, estacionada sobre a faixa de pedestre, quase apagada mas perceptível, e ainda por baixo do carro, é possível ver também que está obstruindo uma rampa de acesso para cadeirantes claramente visível.


Mas a verdadeira questão é: de quem é a culpa do caos? Essa resposta é complicada de ser elaborada, mas acredito que se o conjunto funcionasse, aí teríamos um trânsito mais seguro (conjunto: população e órgãos responsáveis). Mas não, não existe! População bacabalense é totalmente mal educada no trânsito, grande parte não tem a capacidade de respeitar um sinal fechado, a guarda municipal só serve para multar e apreender em suas blitz.

Mas o poder público não está preocupado com isso, está preocupado em reprimir e não em educar, pois querem armar os guardas municipais, já teve até uma conferência municipal sobre o assunto (que foi mal divulgada). Questionados sobre o perigo de colocar armas nas mãos desses profissionais, a resposta foi que seriam treinados para isso e que os mesmos merecem trabalhar protegidos. Ok, ok, tudo bem, têm mesmo que trabalhar protegidos, mas para tentar dar um jeito na macro, tem primeiro que dar um jeito na micro.

Relação trânsito/comunidade/DMT tem que dar certo, mas a relação que eles querem é guardas armados fazendo papel de polícia. E o trânsito? Quem vai cuidar? Já que os responsáveis vão ser treinados para oprimir e não para cuidar do papel que lhes cabe? Questões como essas nos levam a analisar o que vem acontecendo em relação ao trânsito de Bacabal.

Os profissionais do Departamento Municipal de Trânsito (DMT) não são culpados pelo descaso, pois existe hierarquia, existe quem comanda, quem manda, e pelo visto comandam mal, tanto que os números não deixam mentir, existem guardas empenhados na mudança desses números acreditando em um futuro melhor, dando o melhor de si tanto nas ruas como na educação no trânsito.

O descaso é reflexo de uma má administração, que é anterior à atual e vem apenas reforçando e se legitimando como caótico, uma pena, pois vidas estão indo embora, e muitas ainda irão, realmente uma pena.

Estamos cercados de parasitas, doidos para se alimentarem da máquina pública, estamos em um beco sem saída. O que devemos fazer então? Apostar em nós mesmos, vamos exercer a cidadania, vamos começar a agir, e não ficar só no campo da reclamação boca a boca e na reclamação virtual, vamos usar os órgãos responsáveis como o MPE (Ministério Público Estadual) e o MPF (Ministério Público Federal), vamos denunciar tudo que estiver errado, vamos trabalhar nosso subconsciente para aprendermos a nos policiar em relação ao trânsito e ao bom senso, em relação as farras, enfim, em relação a tudo, porque para o macro dar certo, temos que trabalhar o micro, que somos nós.
________________________________
*Wherlyshe Morais é acadêmico de Ciências Sociais no campus de Bacabal da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: