quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Vírus Ebola e a eminência de uma provável epidemia mundial em 2014 - Por Cristiane Lopes*

O surto do vírus Ebola tem tomado os noticiários mundiais, o medo que ele torne-se uma epidemia é eminente e de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), trata-se da maior epidemia de febre hemorrágica em termos de pessoas afetadas, números de mortos e extensão geográfica.

Compartilhe no Facebook


No entanto, apesar de ser uma doença desconhecida pela grande maioria da população, esse vírus não foi descoberto agora, surgiu em 1976 no continente africano, mais especificamente numa aldeia chamada Yambuku, norte da República Democrática do Congo, próximo ao rio Ebola.

Segundo pesquisas dos Médicos Sem Fronteira (MSF), as causas, sintomas, diagnósticos e tratamento são:

CAUSAS DO VÍRUS EBOLA


O Ebola pode ser contraído tanto de humanos como de animais. O vírus é transmitido por meio do contato com sangue, secreções ou outros fluídos corporais.

Em algumas áreas da África, a infecção foi documentada por meio do contato com chimpanzés, gorilas, morcegos frutívoros, macacos, antílopes selvagens e porcos-espinhos contaminados encontrados mortos ou doentes na floresta tropical.

Enterros onde as pessoas têm contato direto com o falecido também podem transmitir o vírus, enquanto a transmissão por meio de sêmen infectado pode ocorrer até sete semanas após a recuperação clínica.

SINTOMAS DO VÍRUS EBOLA


No início, os sintomas não são específicos, o que dificulta o diagnóstico.

A doença é frequentemente caracterizada pelo início repentino de febre, fraqueza, dor muscular, dores de cabeça e inflamação na garganta. Isso é seguido por vômitos, diarreia, coceiras, deficiência nas funções hepáticas e renais e, em alguns casos, sangramento interno e externo.

Os sintomas podem aparecer de dois a 21 dias após a exposição ao vírus. Alguns pacientes podem ainda apresentar erupções cutâneas, olhos avermelhados, soluços, dores no peito e dificuldade para respirar e engolir.

DIAGNÓSTICO DO VÍRUS EBOLA


Diagnosticar o Ebola é difícil porque os primeiros sintomas, como olhos avermelhados e erupções cutâneas, são comuns. Infecções por Ebola só podem ser diagnosticadas definitivamente em laboratório, após a realização de cinco diferentes testes.

Esses testes são de grande risco biológico e devem ser conduzidos sob condições de máxima contenção. O número de transmissões de humano para humano ocorreu devido à falta de vestimentas de proteção.

TRATAMENTO DO VÍRUS EBOLA


Ainda não há tratamento ou vacina específico para o Ebola.

O tratamento padrão para a doença limita-se à terapia de apoio, que consiste em hidratar o paciente, manter seus níveis de oxigênio e pressão sanguínea e tratar quaisquer infecções. Apesar das dificuldades para diagnosticar o Ebola nos estágios iniciais da doença, aqueles que apresentam os sintomas devem ser isolados e os profissionais de saúde pública notificados. A terapia de apoio pode continuar desde que sejam utilizadas as vestimentas de proteção apropriadas até que amostras do paciente sejam testadas para confirmar a infecção.

O medo que o vírus se espalhe pelo mundo e o início de um Bioterrorismo levou diversos países a enviarem auxílio econômico, humano e material com a intenção de tentar pelo menos controlar o atual surto, que começou no mês de março na cidade africana de Guiné, passou para Serra Leoa, Libéria e agora chegou a um dos países mais populosos da África, a Nigéria. Segundo o último relatório da OMS de 05 de agosto de 2014, estima-se que haja 887 mortes causadas pelo Ebola e 1.603 pessoas infectadas.

Como não existem medicamentos ou vacina, os países estão se precavendo por meio da estrutura do sistema de saúde com alas destinadas para pacientes que necessitam ficar isolados e consequentemente não contaminar o restante da população. Países como EUA, Inglaterra, Alemanha, Japão e os demais países tidos como potências já têm uma estrutura médico-hospitalar pronta e de alto nível.

Outro receio é o Ebola ser utilizado por terroristas como arma biológica para atacar seus inimigos, pois eles já estudam trabalhar com o Bioterrorismo e neste caso infiltrariam alguém infectado em países ou exércitos. As características mortais do vírus seriam mais eficientes para exterminar pessoas de maneira mais rápida sem tantos gastos econômicos.

Os países desenvolvidos já estão prontos em relação à estrutura médico-hospitalar para uma possível chegada do vírus, além disso, melhoraram a fiscalização nas fronteiras, estando também mais cautelosos para receber turistas.

MAS E O BRASIL, ESTÁ PREPARADO PARA TRATAR O VÍRUS EBOLA


Nosso sistema público de saúde é pífio! Isso já é sabido por todos.

O Sistema Único de Saúde (SUS) sofre de um colapso crônico e não tem melhorado com o tempo. A estrutura dos nossos hospitais é incapaz de tratar doenças tidas como comuns e ofertar leitos suficientes para abarcar toda a população, agora imaginem ter uma ala específica para pacientes com Ebola?

Além da falta de estrutura na saúde pública, é necessário que o governo passe a trabalhar numa melhor fiscalização nas fronteiras brasileiras e ser mais cauteloso para receber turistas. O Brasil é conhecido por ser um país hospitaleiro e de fácil acesso para qualquer pessoa, seja ele turista ou refugiado, e para evitar que o vírus chegue ao nosso país será preciso se precaver da melhor forma que pudermos, neste caso, é pela fiscalização, pois se formos depender da saúde... O caso estará perdido!

A Organização Mundial da Saúde (OMS) juntamente com os presidentes dos países mais afetados pelo vírus tem tentado por meio de reuniões, métodos para controlar o surto, contam ainda com o auxílio de diversos países, todos empenhados para evitar que o Ebola torne-se uma epidemia.
_______________________
*Cristiane Lopes é acadêmica de Pedagogia no campus de Bacabal da Universidade Estadual do Maranhão.

COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: