sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Corrida presidencial 2014: a história política de Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos - Por Cristiane Lopes*

Este é o ano no qual decidiremos o futuro do nosso país para os próximos quatro anos, no dia 05 de outubro iremos às urnas escolher o presidente do Brasil. O ideal é que nós enquanto cidadãos, tenhamos conhecimento das propostas políticas de cada candidato para que possamos exercer com consciência nosso poder de voto.

Compartilhe no Facebook


Por isso, iniciaremos os artigos de temáticas eleitorais com a história política dos três candidatos mais bem colocados na última pesquisa realizada pelo Ibope dia 5 de agosto de 2014. São eles: Dilma Rousseff do PT (38%), Aécio Neves do PSDB (23%) e Eduardo Campos do PSB (9%).

Este artigo foi finalizado antes da morte do candidato Eduardo Campos, no entanto deixaremos aqui sua história para prestar uma homenagem a todo seu legado político.

DILMA ROUSSEFF


Atual presidente do Brasil, herdeira política do ex-presidente Lula, formada em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a mineira Dilma Vana Rousseff nasceu no dia 14 de dezembro de 1947.

Dilma esteve desde a adolescência envolvida em causas políticas, foi militante durante a Ditadura Militar brasileira, sendo presa por participar ativamente da luta armada na época.

O fim do Regime Militar marca o início da entrada de Dilma na vida política, pois entre os anos de 1985 a 1988, esteve à frente da secretaria da Fazenda do governo municipal de Alceu Colares na prefeitura de Porto Alegre. Na época, Dilma era filiada ao PDT (Partido Democrático Trabalhista), de 1988 até meados dos anos 90 ela participou ativamente na assessoria de muitos políticos poderosos da época.

Entre os anos de 1990 e 1993, Dilma foi indicada pelo então governador Alceu Collares como presidente da Fundação de Economia e Estatística (FEE), em seguida se tornou secretária de Energia, Minas e Comunicação até 1995.

Dilma retornou a secretaria em 1998 ficando até 2002, essa época ficou marcada pelo desentendimento com Leonel Brizola, que chegou a acusá-la de traidora por ter se filiado ao PT em 2001 e também por apoiar um candidato de oposição.

Desde que chegou ao PT, Dilma já era bem vista por Lula, então presidente do partido, foi tida como uma das mentoras do plano de governo que o PT elaborou para o mandato de Lula na presidência. Ela ganhou rapidamente o carinho e a confiança do presidente que a indicou como ministra de Minas e Energia, cargo que foi exercido até 2005.

Com o escândalo do Mensalão em 2005, Dirceu renunciou ao cargo de ministro-chefe da Casa Civil e instantaneamente Lula indicou Dilma como substituta, ela ficou no cargo até 2009. O período no qual Dilma esteve à frente da Casa Civil foi utilizado por Lula como uma forma de prepará-la para a disputa das eleições à presidência de 2010, tanto é que muitos acusaram o presidente de fazer campanha política antecipada.

Em 2010, Dilma sagrou-se vencedora no primeiro turno e tornou-se a primeira mulher presidente do Brasil com Michel Temer (PMDB) como vice, o “fator Lula” foi crucial para a vitória, pois ele era o tema de campanha mais abordado nos discursos.

ESCÂNDALOS DO GOVERNO DILMA:

- Feirão da Petrobras;
- Crise na tarifa dos transportes públicos;
- Manifestações;
- Gastos excessivos para a viabilização da Copa do Mundo de 2014;
- Inflação chegou ao teto da média estipulada pelo governo;
- Inúmeros ministros demitidos por envolvimento em escândalos, são eles: Alfredo Nascimento (Transportes), Nelson Jobim (Defesa), Wagner Rossi (Agricultura), Pedro Novais (Turismo), Orlando Silva (Esporte), Carlos Lupi (Trabalho) e Mário Negromonte (Cidades).

SÃO CONSIDERADOS PONTOS POSITIVOS DO GOVERNO DILMA:

- PAC 2 ( Programa de Aceleração do Crescimento);
- Programa Minha casa, minha vida;
- Programa Mais Médicos;
- Programa Brasil sem Miséria;
- Programa Mais Educação;
- Queda na taxa do desemprego;
- Pronatec;
- Universalização do ENEM.

AÉCIO NEVES


Aécio Neves da Cunha, mineiro nascido no dia 10 de março de 1960, formado em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e neto de Tancredo Neves, ex-presidente da república.

Inspirado pelo avô, Aécio ingressou na vida política sendo secretário pessoal de Tancredo, já em 1987 foi eleito deputado federal por Minas Gerias, venceu em mais três oportunidades sendo deputado federal de 1987 a 2002.

No final de seu último mandato como deputado federal, Aécio foi eleito presidente da câmara dos deputados. Em 2002 venceu a candidatura para governador de Minas Gerais no primeiro turno e foi reeleito em 2006 também no primeiro turno, vale ressaltar que nas duas vitórias Aécio obteve a maior porcentagem de votos da história do estado sendo respectivamente 57,68% (5.282.043 votos) e 73,03% (7.482.809).

Renunciou ao cargo de governador em 2010 para concorrer ao Senado Federal e venceu com mais um resultado histórico, 39,47% dos votos, terminando como o terceiro senador mais bem votado naquela eleição a nível nacional.

Há quase dois anos o PSDB discutia quem iria concorrer à presidência do Brasil pelo partido, muito se falava em Aécio, porém havia quem ainda apostava em mais uma tentativa de José Serra. Aécio foi o escolhido e está na corrida presidencial com apoio de políticos medalhões do partido, como: Fernando Henrique Cardoso e o próprio José Serra, que tentam ser para Aécio o que Lula foi para Dilma em 2010.

ESCÂNDALOS NOS GOVERNOS DE AÉCIO:

- Contratos sem licitação para empresas de Zezé Perrela;
- Acusação de improbidade administrativa por não cumprir o piso constitucional do financiamento do SUS;
- Recentemente foi acusado de construir pistas de pousas em locais indevidos e sem a autorização da ANAC.

SÃO CONSIDERADOS PONTOS POSITIVOS NOS GOVERNOS DE AÉCIO:

- Projeto Escola Vive;
- Segundo o Ideb, durante os governos de Aécio Minas oferecia o melhor ensino fundamental em escolas públicas no Brasil;
- Projeto Comunidade Ativa;
- Projeto de combate à Pobreza Rural (PCPR);
- Projeto Poupança Jovem;
- Programa de Controle de Homicídios;
- Programa de saúde Rede Viva Vida;
- Programa Saúde em Casa;
- Programa de Pavimentações Ligações e Acessos.

EDUARDO CAMPOS


Neto de um ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, filho do poeta Maximiliano Campos e da ex-deputada federal Ana Arraes, o candidato à presidência pelo PSB, Eduardo Henrique Accioly Campos é um pernambucano que nasceu no dia 10/08/65 e morreu nesta quarta-feira, 13/08/14.

Eduardo, assim como Dilma e Aécio, também é formado em Economia, só que em seu caso, foi pela Universidade Federal do Pernambuco. A vida política de Eduardo iniciou na universidade (começou a cursar aos 16 anos e se formou aos 20) quando era presidente do diretório acadêmico do curso.

Após a conclusão do curso universitário, ele tornou-se chefe de gabinete do governador de Pernambuco, que era seu avô, em 1990 filiou-se ao PSB e em seguida foi eleito deputado estadual e em 1994 venceu como deputado federal.

Entre os anos de 1995 a 1998, Campos foi secretário da Fazenda no governo de seu avô, logo depois venceu novamente como deputado federal. Em 2004, Lula o nomeou como ministro de Ciência e Tecnologia, já no ano de 2005 tornou-se presidente nacional do PSB e no ano seguinte foi eleito governador de Pernambuco e reeleito em 2010.

Para disputar a corrida presidencial, Eduardo recorreu, insistiu e conseguiu firmar parceria de vice-presidente com Marina Silva, líder da Rede Sustentabilidade, ex-senadora, ex-ministra do Meio Ambiente e que concorreu para a presidência em 2010 alcançando votação muito expressiva.

Eduardo estava muito bem durante campanha, conquistando aos poucos seu eleitorado, inclusive ontem durante entrevista ao Jornal Nacional, onde na ocasião foi muito seguro, animou parte da população que se manifestava já a favor de Eduardo e Marina nas redes sociais. Porém, nesta quarta-feira após um trágico acidente aéreo, Eduardo veio a falecer deixando a população perplexa e comovida com a tragédia.

Resta-nos agora esperar as próximas decisões de Marina Silva e do PSB a cerca da candidatura, se ela permanecerá vice ou se irá disputar como presidente.

A última frase de Eduardo Campos em rede nacional foi durante uma entrevista ao jornal nacional na terça-feira (12/08) e representa ou deveria representar a maioria do sentimento dos brasileiros: “Não vamos desistir do Brasil, pois é aqui que iremos criar nossos filhos”.

ESCÂNDALOS NOS GOVERNOS DE EDUARDO:

- Acusado de forjar documentos na época que era ministro da Fazenda no governo de seu avô;
- Acusado de falsidade ideológica e crime contra o sistema financeiro Nacional.
OBS: Nada foi comprovado na justiça.

SÃO CONSIDERADOS PONTOS POSITIVOS NOS GOVERNOS DE EDUARDO:

- Ferrovia trasnordertina;
- Refinaria de Petróleo Abreu Lima;
- Construção de hospitais e redução da mortalidade infantil no estado pernambucano;
- Programa Ganhe o Mundo (enviando alunos de escolas públicas para intercâmbio);
- Crescimento do número de ofertas de empregos formais;
- Crescimento do número de empresas multinacionais em Pernambuco;
- 2011 – apontado pela pesquisa Ibope/Band como o melhor governador do Brasil e novamente, pela Revista Época, um dos 100 brasileiros mais influentes do ano.
- 2013 – Pacto pela Vida recebe o prêmio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) na categoria “Governo Seguro – Boas práticas em prevenção do crime e da violência”.
____________________
*Cristiane Lopes é acadêmica de Pedagogia no campus de Bacabal da Universidade Estadual do Maranhão.

COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: