quarta-feira, 30 de maio de 2012

Professores do MA rejeitam jornada de 24 horas semanais

Os professores da rede estadual do Maranhão, após uma consulta realizada em todas as regionais pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinproesemma), rejeitou a proposta do governo de criação da uma jornada de trabalho de 24 horas semanais.

A direção do Sinproesemma vai reafirmar, em negociação com o governo, a posição do sindicato e da categoria de manutenção da jornada de 20 horas e a inclusão de uma nova jornada de 40 horas na rede. E caso o Governo do Maranhão consiga aprovar a jornada de 24 horas, futuramente vai querer dificultar que professores tenham duas nomeações, porque somariam 48 horas, o que ultrapassa a jornada semanal máxima de 44 horas.

“A existência de duas jornadas na rede, de 20 e 40 horas, inclusive, foi amplamente discutida e defendida nas assembleias de debates e deliberações que foram realizadas ao longo da construção do Estatuto do Educador”, ressaltou o presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro.

Segundo o sindicalista, com a inclusão da jornada de 40 horas, a categoria chegará mais perto de conquistar a dedicação exclusiva, com salários melhores e melhor qualidade de vida para os educadores que fizerem a opção por esse regime. “Assim, o educador não terá necessidade de outro emprego, se dividindo em duas redes de ensino, o que gera grande desgaste para o trabalhador”, explica.

Nas regionais, os educadores disseram não à intenção do governo em ampliar a atual jornada de 20 horas para qualquer acréscimo, seja de 30, 24 ou mesmo 21 horas. “A categoria só aceita se for a inclusão de mais uma jornada de 40 horas e não a ampliação da jornada atual. E vamos dizer isso ao governo na reunião que será realizada nesta quarta-feira, 30, prevista como a última do processo de negociação em torno do Estatuto do Educador. A consulta nas regionais serviu apenas para reafirmar uma posição já definida, desde o início das discussões, em assembleias, na elaboração do Estatuto”, esclarece Pinheiro.

Encerrando a pendência sobre a jornada, nesta reunião, o Sinproesemma vai exigir que o governo envie, urgente, a proposta do Estatuto do Educador, até esta sexta-feira, 1º de junho, à Assembleia Legislativa, prazo previsto para encerrar a gestão do atual secretário de Estado de Educação, João Bernardo Bringel, que responde também pela Secretaria de Estado de Planejamento e deve desacumular os cargos.

“Não podemos deixar essa tarefa para um novo secretário. Queremos encerrar essa etapa no final desta semana”, conclui o presidente do sindicato.
_______________
Com informações do Sinproesemma.
COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: