sexta-feira, 13 de maio de 2016

Brasil: um país que vive o ápice do caos humano e político-social - Por Cristiane Lopes*

Brasil, um país com uma democracia historicamente fragilizada, dado que apenas cinco Presidentes da República eleitos democraticamente conseguiram completar seus respectivos mandatos; esse mesmo país enfrentou um processo de impeachment nos anos 90 e agora vê-se diante de outro processo; uma nação, em sua maioria, intransigente e que não respeita e tão pouco aceita a opinião/escolha do próximo.

► COMPARTILHE NO FACEBOOK
► COMPARTILHE VIA WHATSAPP

Um Brasil onde seu povo desconhece seus direitos, bem como seus deveres; esse mesmo Brasil que tem como representante do grupo que se designou salvador da pátria, o neto de Tancredo Neves, o senhor “não sei/aceito perder”, o senador Aécio Neves.


Um país com leis que permitem um ex-presidente que sofreu impeachment ser eleito senador; uma nação que tem Eduardo Cunha na presidência da Câmara e Renan Calheiros na presidência do Senado Federal.

Um país que agora será governado por um vice que deixou de ser “decorativo” (como ele mesmo definiu recentemente), advindo de um partido que sempre viveu nos bastidores da política apenas usufruindo de cargos e regalias.

Esse mesmo ex-vice decorativo agora está interinamente como Presidente da República e nomeou somente HOMENS para o comando dos ministérios, além disso, nenhuma pessoa NEGRA foi nomeada para esses cargos ministeriais. Um total retrocesso!

Esse ex-vice vem para integrar a trinca do PMDB de Presidentes da República que “ganharam” o cargo, pois estão na galeria dos que assumiram por motivações esporádicas.

Uma nação que desrespeita e zomba da figura feminina da presidenta visando atingi-la da maneira mais desprezível possível. Críticas à figura política são cabíveis e permitidas pela liberdade de expressão, já à figura feminina as críticas são inadmissíveis.

Um Brasil que ignora suas raízes, que desconhece sua própria história, não admira sua cultura, despreza o livre arbítrio do indivíduo e alcança, a cada dia, o ponto mais infame da falta de humanidade.

Uma nação que chegou ao nível de empobrecimento profundo no âmbito humano e social que desencadeou na construção de um muro nos arredores da Esplanada, em Brasília. O chamado Muro da Vergonha é na verdade o cemitério da dignidade, onde o brasileiro enterrou sua capacidade de ser cidadão e perdeu o restante de humanidade que restava.

Um país sem diálogo e com pessoas radicais e fanáticas principalmente na perspectiva política e religiosa. Por isso, humanizar a população para a prática da cidadania é substancial para erradicar o caos humano-social no qual o Brasil está inserido.

Decerto, próximos capítulos desse contexto grotesco da atual conjuntura político-social brasileira virão. E não adianta abdicar do seu poder de intervenção, pois essa abstenção apenas reforça a crise.
___________________________
*Cristiane Lopes é acadêmica do 8º período do curso de Pedagogia - CESB/UEMA, estagiária na Supervisão Pedagógica no SENAC de Bacabal, redatora oficial do Colégio Reis Magos, colunista do site Castro Digital e dos blogs Atitude Motivacional e PIBID Foco e Ação - UFMA.
"Educadora enquanto profissão, Psicóloga de coração e Escritora por amor."

COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: