quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Ex-prefeito de Bacabal - MA, Lisboa, é preso pela segunda vez acusado de participar de esquema de agiotagem no Maranhão

Pela segunda vez foi preso o ex-prefeito de Bacabal - MA, o médico Raimundo Nonato Lisboa, mais conhecido somente como Lisboa. A prisão ocorreu nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (18) numa operação coordenada pela Superintendência de Combate à Corrupção (Seccor) e Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público (MP) Estadual, e com o apoio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (SENARC).

► COMPARTILHE NO FACEBOOK
► COMPARTILHE VIA WHATSAPP

Também foram presos dois de seus auxiliares na gestão municipal, o ex-tesoureiro, Gilberto Ferreira, e o ex-secretário municipal Aldo Araújo de Brito. Eles foram presos em suas residências em cumprimento a mandado de prisão preventiva e foram encaminhados à sede da Secretaria de Estado da Segurança Pública, na capital São Luis.

A primeira prisão de Lisboa ocorreu em maio deste ano, junto com ele também foi preso Aldo Araújo, eles são acusados de participação no esquema milionário de agiotagem no Maranhão. Clique para saber mais sobre a primeira prisão.

Foto: imagem de arquivo.

Também foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra Josival Cavalcanti, conhecido como agiota pelo apelido de Pacovan, e sua esposa Edna Pereira; além de Eduardo José Barros Costa, conhecido como Eduardo DP ou Imperador. O agiota Gláucio Alencar, mandante do assassinato do jornalista Décio Sá, já preso, foi alvo do sétimo mandado de prisão, acusado de ter recebido dinheiro advindo do esquema.

Os sete envolvidos são responsáveis por desvios de R$ 4,5 milhões na Prefeitura de Bacabal e responderão pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, fraude ao processo licitatório, peculato e organização criminosa. A prisão preventiva dos envolvidos será por tempo indeterminado, para a garantia da instrução processual, por ordem judicial da comarca de Bacabal.

O nome da operação remete à empresa El Berite, que deveria atuar no ramo da construção civil no município de Bacabal, mas que serviu como “laranja” no desvio de verbas públicas para pagamento de agiotas. A dívida com os agiotas decorre do financiamento de campanha de reeleição do ex-prefeito Lisboa para o mandato de 2009 a 2012.

Em 2015, durante as investigações do homicídio do jornalista Décio Sá, foi realizada a prisão de um dos agiotas, Gláucio Alencar. Em varredura na casa do pai de Gláucio, José de Alencar Miranda, a polícia identificou centenas de cheques em branco de vários municípios maranhenses. Foi montada uma operação para identificar a origem dos cheques e o caminho da corrupção nesses municípios.

Municípios como Zé Doca, Arari, Dom Pedro, Marajá do Sena e Bacuri também são alvo de investigação da Polícia Civil por movimentações suspeitas relacionadas à agiotagem.
______________________________
Informações da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Maranhão.

COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: