sábado, 7 de dezembro de 2013

Carta dos estudantes da UFMA de Bacabal que estão ocupando o campus e reivindicando melhorias na estrutura da instituição

Acadêmicos do campus de Bacabal da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) enviaram ao Portal Castro Digital uma carta, que pode ser lida na íntegra mais abaixo, expondo suas reclamações e reivindicações sobre a infraestrutura da instituição. Eles estão em greve há três dias e desde então, um grupo de acadêmicos está ocupando o campus.

Compartilhe no Facebook


CARTA DE REIVINDICAÇÕES DOS ESTUDANTES DA UFMA DE BACABAL

Bacabal, 05 de Dezembro de 2013.

Permanecer enquanto estudante na Universidade Federal do Maranhão tem se tornado tarefa emblemática, tortuosa e de alto ônus para aqueles que acreditaram que o ingresso no ensino superior representaria melhoria e mudanças significativas para suas vidas.

A realidade é que há uma luta cotidiana pelo direito a educação, pelo direito de condições de permanecer com qualidade na Universidade que escolhemos (ou que nos escolheu). Dentro da UFMA há uma elite acadêmica que possui objetivos políticos bem delimitados e facilmente identificáveis pelas ações tornadas prioritárias dentro dessa instituição.

Sofremos com os desmandos de uma reitoria autoritária que tem relegado a classe estudantil a condições precárias, O Campus de Bacabal possui dois cursos desde 2010, quais sejam Licenciatura em Ciências Humanas e Licenciatura em Ciências Naturais, somam-se a estes os cursos de Pedagogia da Terra e mais recentemente o de Ciências Agrárias, os dois últimos na modalidade de alternância.

Os Cursos de Ciências Humanas e Ciências Naturais são resultados da adesão da UFMA ao REUNI - Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais. Porém com mais de 300 alunos o campus ainda é carente de condições básicas de funcionamento, como por exemplo o pouco acervo bibliográfico.

A interiorização da UFMA tem sido feita de forma irresponsável e com vistas somente a cooptação de recursos do Governo Federal, recurso este que não tem servido para proporcionar condições dignas aos estudantes de permanecer na Universidade.

O Campus de Bacabal com mais de três anos de funcionamento não possui se quer uma lanchonete, aliás estruturalmente ela existe, mas tem sido utilizada como garagem. A maioria dos estudantes são de outras cidades, alguns vieram morar em Bacabal, outros pagam van para virem todas as noites para o campus e outros (muitos!) acabam desistindo por não terem condições de permanecer.

Então nossa luta também é por uma casa estudantil no campus. Há ainda um déficit de professores e algumas turmas têm aula somente três vezes por semana, então nossa luta também é pela ampliação do quadro de professores.

A Reitoria atual diz que não constrói casa estudantil porque dá bolsa-permanência para os estudantes se manterem no curso. Agora perguntamos: quem consegue viver dignamente com 300 reais por mês? Sim, porque esse é o valor da bolsa disponibilizada.

POR ESSE MOTIVO, NO DIA 05 DE DEZEMBRO, 10 ESTUDANTES INICIARAM A OCUPAÇÃO NO HALL DE ENTRADA DO CAMPUS DE BACABAL E SÓ SAIREMOS QUANDO A REITORIA SINALIZAR POSITIVAMENTE PARA NOSSAS REIVINDICAÇÕES.

Nossa luta é por respeito, pelo direito de permanecer qualitativamente nos nossos cursos, por educação de qualidade; a nossa luta é a luta de muitos que acreditam num amanhã mais digno para todos!

"Que tempos são estes, em que é necessário defender o óbvio?” (Bertolt Brecht).










COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: