terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Sites de downloads apagam arquivos ilegais para não sairem do ar

Depois que o site Megaupload, um dos maiores servidores de downloads do mundo, foi retirado do ar pela Polícia federal dos Estados Unidos (FBI), provocou um efeito cascata em toda internet. Outros sites de downloads, seus concorrentes, apesar de ainda não terem saido do ar, estão tomando medidas para que isso não aconteça, a principal é deletar de seus servidores arquivos ilegais.

Veja abaixo o que os principais sites de downloads estão fazendo para não sairem do ar:

• Filesonic - Desabilitou o compartilhamento de arquivos e agora apenas guarda arquivos pessoais. Deixou de oferecer contas premium.

• Fileserve - Interrompeu o compartilhamento de arquivos, fazendo com que usuários só pudessem baixar arquivos que eles mesmo subiram no serviço. Além disso, o Fileserve exluiu arquivos múltiplos, proibiu contas premium e fechou seu programa de afiliados.

• VideoBB - Fechou o programa de afiliados.

• Filepost - Suspendeu contas de usuários que enviaram material ilegal.

• Uploaded.to - Bloqueou o acesso de usuários americanos.

• Videozer - Fechou o programa de afiliados.

• Filejungle - Está testando o bloqueio de acesso para IPs dos Estados Unidos.

• Uploadstation - Está testando o bloqueio de acesso para IPs dos Estados Unidos.

• 4shared - Começou a deletar contas e arquivos de usuários que violem direitos autorais.

• Enterupload - Fechou o serviço, redirecionando seu endereço a outro site.

• MediaFire - Em comunicado, o fundador do serviço deixou claro que o site leva as violações dos termos de serviço "muito a sério" e que é apenas um serviço de armazenamento na nuvem, tentando afastar o serviço da polêmica sobre conteúdo ilegal.

• RapidShare - O advogado da empresa, em entrevista para a Fast Company, afirmou que a tecnologia para upload do RapidShare e do Megaupload é a mesma, assim como é igual a de serviços como o Dropbox ou o iCloud da Apple. Ele disse que o compartilhamento de arquivos não é o problema, mas sim a motivação por trás do negócio. Em postagem no Facebook, a empresa tranquilizou usuários dizendo que se diferencia do Megaupload pois "nunca quis fugir do acesso legal de qualquer administração" e não se sente ameaçada.

A ação contra o site Megaupload se baseou nas acusações de infração de direitos autorais. A medida foi tomada em meio a debates em torno das leis antipirataria Stop Online Piracy Act (Sopa) e Protect Intelectual Property Act (Pipa). Por ora, o projeto de lei Pipa teve votação adiado e a Sopa foi retirada da pauta do Congresso.
________________________
Com informações de O Estadão e Terra.
COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: