terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Arquivos do Megaupload começam a ser apagados

Os arquivos do site de compartilhamento Megaupload, que saiu do ar recentemente, começam a ser apagados a partir da próxima quinta-feira (2). A permissão para deletar os arquivos foi dada pela Procuradoria dos Estados Unidos para as empresas Carpathia Hosting Inc. e Cogent Communications Group.

O Megaupload terceirisava o armazenamento dos arquivos e essas duas empresas são algumas das contratadas para este serviço. Mas o governo dos EUA congelaram as contas do Megaupload e as empresas contratadas não estão recebendo pagamento. Além dos arquivos dos datacenters destas duas epresas, arquivos de outras também podem ser apagados. O governo copiou alguns dados dos servidores, mas não os tomou fisicamente. Agora que os mandados de busca foram executados, os dados não poderão ser acessados.

O Megaupload afirma que milhões de usuários têm dados pessoais armazenados no serviço, como fotos de família e documentos. O advogado da companhia afirma que a empresa está trabalhando com os promotores para manter os dados. Além disso, o Megaupload espera manter as informações para que possa se defender das acusações na Justiça.

ATUALIZAÇÃO ÀS 11 HORAS DE TERÇA-FEIRA (31)

Os arquivos hospedados no site de Megaupload, que seriam apagados dos servidores na quinta-feira (2), ficarão protegidos por pelo menos 15 dias. As empresas que hospedam os dados e que não recebem pagamento por conta do fechamento do endereço e da prisão do seu fundador acordaram em estender o prazo para deletar os arquivos.

De acordo com o advogado do Megaupload, Ira Rothken, as empresas Carpathia Hosting e Cogent Communications Group, que foram contratadas pelo Megaupload para hospedar os arquivos compartilhados por usuários no site, ampliaram o prazo de espera pelos pagamentos antes de começar a deletar os dados dos servidores. "As empresas foram gentis o bastante para nos dar mais tempo enquanto trabalhamos para conseguir um acordo com o governo", disse.

Na segunda-feira (30), Rothken disse que pelo menos 50 milhões de usuários do site poderão ter seus arquivos apagados por conta da medida.

"Estamos um pouco otimistas porque tanto os Estados Unidos quanto o Megaupload têm um desejo em comum de proteger seus consumidores e um acordo [para evitar a perda de arquivos] será fechado", disse Rothken. Ele também afirmou que a ameaça de que os arquivos sejam apagados pode ajudar na defesa do Megaupload na justiça.

ENTENDA O CASO

As autoridades dos Estados Unidos, incluindo o FBI (polícia federal americana), tiraram o Megaupload e outros 18 sites afiliados do ar na noite do dia 19 de janeiro (horário de Brasília) por considerar que o site faz parte de "uma organização delitiva responsável por uma enorme rede de pirataria virtual mundial". O Megaupload teria causado mais de US$ 500 milhões em perdas ao transgredir os direitos de propriedade intelectual de companhias. As autoridades norte-americanas consideram que por meio do site, que conta com 150 milhões de usuários registrados, e de outras páginas associadas, ingressaram cerca de US$ 175 milhões.

No dia 20 de janeiro na Nova Zelândia, noite de 19 de janeiro no Brasil, a polícia neozelandesa realizou uma operação na qual confiscou dos detidos e do Megaupload bens avaliados em US$ 4,8 milhões, além de US$ 8 milhões depositados em contas abertas em diversos bancos do país. Nesta operação, Kim Schmitz, mais conhecido por Dotcom, fundador do Megaupload, e os outros três envolvidos, foram presos. Desde então, outros acusados de participar do negócio, alguns fugitivos, vêm sendo presos ao redor do mundo. Dotcom, que teve o pedido de fiança negado, está preso desde o dia 20 de janeiro na Nova Zelândia e deve permanecer até o dia 22 de fevereiro, quando termina o prazo do pedido de extradição para os Estados Unidos.

Megaupload Ltd., e outra empresa vinculada ao caso, a Vestor Ltd, foram indiciadas pela câmara de acusações do Estado da Virgínia (leste) por violação aos direitos autorais e também por tentativas de extorsão e lavagem de dinheiro, infrações penalizadas com 20 anos de prisão. Embora tenham participado da operação, as autoridades da Nova Zelândia não devem apresentar acusações formais contra o site.

O anúncio do fechamento do Megaupload ocorreu em meio a uma polêmica nos Estados Unidos sobre dois projetos de lei antipirataria, o Sopa (Stop Online Piracy Act), que corria na Câmara dos Representantes, e o Pipa (Protect Intelectual Property Act), que era debatido no Senado, contra as quais se manifestou, entre muitos outros, o site Wikipédia, interrompendo seu acesso no dia 18 de janeiro, e o Google mascarando seu logo. O protesto foi chamado de apagão ou blecaute pelos manifestantes.
________________  
Referência: com informações da AFP.
COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: