terça-feira, 29 de março de 2011

Deputados do MA se reunem com professores em greve

Onze deputados encabeçados pelo presidente em exercício da Assembléia Legislativa, Marcos Caldas (PRB), reuniram-se na manhã desta terça-feira, (29), com a comissão de trabalhadores em educação. A conversa com os parlamentares só foi possível, depois que os educadores realizaram em frente ao Palácio Manoel Bequimão, no Cohafuma, manifestação, a fim de sensibilizá-los quanto os motivos da greve iniciada no início deste mês com a participação de milhares de educadores em todo o Estado.

Durante o ato, os trabalhadores ocuparam todos os espaços daquela Casa Parlamentar. Com apitos, faixas e palavras de ordem, eles tentaram chegar até o Plenário, mas foram impedidos pelos seguranças do local, ficando apenas uma comissão de dez pessoas para um entendimento com os representantes da AL.

Reunidos, a comissão de professores falou mais uma vez da motivação da greve, das políticas educacionais do Estado e da situação com que se encontram as escolas e os educadores por todo o Estado. Os parlamentares envolvidos na conversa, mostraram total desconhecimento sobre a greve e suas reais motivações.

Na ocasião, foi cobrado que a AL cumpra o seu papel nesse processo que é buscar a negociação entre governo e sindicato. Ainda na ocasião, foi solicitado que a base do governo busque sensibilizar o governo do Estado a retomar o processo de negociação.

“A Assembléia Legislativa precisa assumir a defesa da educação. A sociedade precisa saber que os deputados se curvam definitivamente às políticas do governo, deixando de lado os interesses públicos. Precisamos denunciar a falta de vontade política dos governos conservadores”, destacou o presidente do SINPROESEMMA (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão), Júlio Pinheiro.

Pinheiro disse ser necessário que os parlamentares, como representantes do povo, prestem contas com a sociedade e deixar claro de que lado estão. “A visita da categoria àquela Casa Parlamentar é para cobrar respeito e compromisso dos deputados para com a educação”, disse ele.

AUDIÊNCIA PÚBLICA


O deputado Rubens Júnior (PC do B), propôs durante a reunião, audiência pública com a presença da secretária estadual de educação, Olga Simão. Sua proposição caiu por terra, haja vista a interveniência de deputados da base governista para a não realização da mesma. Uma forma segundo os educadores, de poupar a gestora de questionamentos e cobranças.

Outra proposição abortada foi a do deputado Bira do Pindaré (PT). Ele sugeriu encontro entr5e a categoria e a governadora Roseana Sarney. A idéia do petista é ouvir dela uma posição quanto ao movimento paredista.

Ao final do encontro o deputado César Pires (DEM), presidente da comissão de educação tomou a iniciativa de intervir junto á Seduc, no sentido de que uma nova reunião entre governo e sindicato, venha a ser agendada o mais breve possível. O referido parlamentar garantiu um posicionamento em no máximo 24 horas.

Destaque para a reclamação do deputado Marcelo Tavares (PSB)quanto a presença de uma equipe da cavalaria em frente da AL a fim de inibir o ato dos trabalhadores.
Presentes no debate os deputados: César Pires (DEM) , Rubens Júnior (PC do B), Bira do Pindaré (PT), Marcelo Tavares (PSB), Neto Evangelista (PSDB), Gardeninha (PSDB), Roberto Costa (PMDB), Edilásio Jr.( PV), Fufuca Dantas (PSDB), Eduardo Braide (PMN) e Ceide Coutinho (PSB).
________________
Referência: SINPROESEMMA.


RECOMENDE ESTA NOTÍCIA PARA SEUS AMIGOS NO FACEBOOK

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE
COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: