sábado, 5 de março de 2011

Cresce reclamação de consumidores sobre e-commerce

O PROCON-SP anunciou na quinta-feira (3) dados sobre registro de reclamações contra serviços de comércio eletrônico e entrega de produtos.

De acordo com a instituição, de novembro de 2010 a janeiro deste ano foram registradas 4838 queixas sobre entrega de produtos e serviços, um aumento de 79% em relação ao mesmo período anterior.

Entre as reclamações gerais, B2W (empresa proprietária da Americanas.com e Submarino), Comprafacil, Ponto Frio, Walmart, Telefônica, TIM, Magazine Luiza, Casas Bahia e Fatordigital correspondem juntas a 2405 queixas.



Entre as empresas de e-commerce, as principais mencionadas nas reclamações foram Ricardo Eletro, TIM, Saraiva, Americanas.com, Submarino, Shoptime, Comprafacil, Walmart, Ponto Frio, Brands Club, Centauro e Fatordigital.

Desde outubro de 2010 o PROCON-SP disponibiliza reclamações através de um canal online, o que fez com que o número de queixas eletrônicas aumentasse 32%.

Segundo o PROCON-SP, a divulgação dos dados fornece ferramentas aos consumidores na hora de escolher os melhores serviços online.

Os números mostrados aqui referem-se apenas ao estado de São Paulo, agora imagine também os números dos outros estados.
________________
Referência: Info.


CURTA ESTA NOTÍCIA COM SEUS AMIGOS NO FACEBOOK

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA AS ATUALIZAÇÕES DO SITE
COMENTE ESTA NOTÍCIA COM SEU PERFIL DO FACEBOOK OU SE PREFERIR, MAIS ABAIXO COM SEU PERFIL DO GOOGLE/BLOGGER - REGRAS: Não é permitido comentário sem identificação. Comentários feitos com conta Fake ou conta do Google do tipo Unknow (Desconhecido) não serão publicados. Todos os comentários são moderados previamente, por isso, não repita o mesmo comentário, pois ele só vai aparecer aqui após aprovação. Comentários com acusações e/ou palavras de baixo calão também serão imediatamente deletados e, se for o caso, o perfil pode até ser banido e não mais permitido que publique nenhum comentário. Também não é permitido comentário com nenhum tipo de publicidade.

0 comentários: